A disputa de quem se importa menos

279

Relacionamentos modernos: a disputa de quem se importa menos.

Você quer segurar aquela pessoa que você ama? Claro que quer, não é mesmo? E tem gente por aí que prega uma fórmula para conseguir isso, a lei do desprezo.

A fórmula é simples:

você finge não estar nem aí, não se importar e assim, a pessoa vai correr atrás de ti.

Simples não é mesmo? Fácil! Mas gente, desde quando as pessoas são robozinhos programadas que agem todas da mesma forma?

Confira:

  • A cultura dos joguinhos: existe uma fórmula para prender a pessoa
  • A pessoa só vai gamar se eu não der atenção
  • Não é algo natural: estou querendo, mas estou me privando
  • Os dois lados são prejudicados

Confira nosso último vídeo: O que fazer com a falta de amor próprio no relacionamento?

A disputa de quem se importa menos

Existem duas situações, o antes de um relacionamento e o durante um relacionamento:

Sabe quando você está afim de uma pessoa e ela não liga para você? E quanto mais ela te despreza, mais essa chama aumenta dentro de você?

Talvez seja por causa disso que as pessoas acham que o desprezo é o que faz com que a outra pessoa se apaixone. Mas não é verdade.

Você se apaixona pelo que a pessoa é, pelo que ela faz, pelo seu brilho. Nunca pelo desprezo.

Muitas vezes há um grande desencontro. Enquanto eu gosto de fulano, fulano gosta de beltrano e beltrano gosta de mim.

Óbvio que é só um exemplo, mas ao mesmo tempo que você pode estar sendo desprezado, você está desprezando alguém.

O que estamos querendo dizer é que não é o desprezo que faz alguém gostar de ti. Se ela não gosta, o seu desprezo só vai ter uma função: afastar de vez essa pessoa da sua vida.

Isso me fez lembrar de um poema que escrevi a milhares de anos atrás:

Brincadeira de criança

Vamos brincar de cão e gato?

Jogo de xadrez.

Você é o rei e eu sou o cavalo.

Só ando em “L” para tentar te alcançar.

Ou talvez seja o pião, sacrificado assim que for necessário.
Vamos brincar de gangorra?

Altos e baixos, ou talvez seja uma roda gigante.

Chegamos tão longe, já avistamos o horizonte.

O céu estrelado e de repente o nada.

Estamos em baixo, em baixa, em alta.
Vamos brincar de esconde-esconde?

Você some e eu conto até dez.

Escondem-se quem puder.

E aí vou eu…
Vamos brincar de pega-pega?

Ou será um jogo de quem não se apega?

Não sei…

Corri, corro, e nunca te pego, ou já peguei e não sei.

Na verdade acho que você me pegou.

Me pegou de um jeito que me deixou correndo em círculos, atrás de meu próprio rabo.

Vamos brincar de ioiô?

Me arremessa para cima e para baixo.

Envolve-me em um laço, da corda para eu me enforcar.

E eu me enforco.

Com a minha própria inércia de ir para baixo.
Vamos brincar de viver?

Sorrir ao acordar. Sorrir ao doer…

Joguinhos no relacionamento

Já o segundo caso é quando você está em um relacionamento e a outra pessoa não está nem aí.

Você simplesmente não sabe o que fazer para que ela esteja na mesma vibe que você.

Então você pede conselhos aos amigos e vários desses conselhos são:

“Faça o mesmo, mostre que não se importa.”

Eu particularmente tenho um pavor desse tipo de conselho. Que merda de relacionamento é esse que você tem que viver algo que não é um relacionamento?

Eu estou em um relacionamento é para amar, ser amado. Viver esse momento intensamente. Fazer coisas com o outro que eu amo. Compartilhar experiências.

Agora a pessoa vem dizer que eu tenho que desprezar a outra pessoa porque ela está me desprezando.

Gente, isso não é relacionamento! Isso é qualquer coisa, menos um relacionamento!

Como resolver isso?

Mas então, o que você faria se a pessoa está te desprezando?

Quando alguém chega para mim e diz: estou em um relacionamento e a pessoa parece não se importar.

O que eu digo é: segue a vida. Se você não está feliz, mostre seus pontos. Se a pessoa não aceita ou não faz de acordo com o que você gosta, deixa para lá. Claro, não sejamos crianças mimadas. Ouça os pontos dela também.

“Mas eu amo a pessoa!” Gente, o primeiro amor tem que ser sempre por nós mesmos. Justamente para não passarmos por situações na vida onde nos entregamos tanto que sentimos nossa falta.

Você não pode se sacrificar pelo amor. Amor não é isso. Do que adianta você ter a pessoa que você ama perto, se todo o entorno do que ela traz é ruim. Não faz sentido!

Terminar algo assim dói, mas dói só uma vez. Enquanto você continuar em algo que não está legal, você vai se machucar e vai se doar até o ponto de não saber mais quem é você.

Nossa dica vai ser sempre nesse sentido: se doe, claro. Tente, batalhe. Mas se estiver doendo demais, valorize o que há de mais precioso em você. VOCÊ MESMO!

– Inscreva-se no nosso canal no YouTube –

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário