Carta aberta a um homofóbico

Carta aberta a um homofóbico

Vem cá colega, qual é o teu problema? Não é só você, o heterossexual perfeito, e quem sabe nem tão heterossexual assim, que merece ser feliz e andar por aí sem problemas pelo mundo. É muito difícil de entender o que te incomoda em enxergar além das roupas, do jeito e da identidade. Enxergar que antes de tudo somos seres humanos. E que a vida em sociedade se deve pelo fato de sermos da mesma espécie e não da mesma escolha.

Talvez os teus pais sejam iguais a você. E não tenham te mostrado a real beleza entre o amor de duas pessoas. Quem sabe essa sua verdade venha da tua raiva interna. De também não conseguir ser quem você é, por medo do julgamento, por medo do que viria pela frente. Mas uma dica eu posso te dar, faz essa pergunta pra você mesmo: Por que odiar uma pessoa pela forma dela de amar?

Você precisa ler: 10 sinais de que não vale a pena investir nele

O amor não tem orientação sexual, o amor acontece.

E eu ainda quero saber quem foi que ditou as regras sobre isso. A liberdade de praticar esse sentimento é carregada de obstáculos. De gente querendo travar o encontro de dois corpos que querem viver lado a lado. E além do amor, o tesão, o tesão também acontece. E todo mundo tem o direito de beijar, de se satisfazer, afogar o ganso, molhar o biscoito e ir aos céus da forma que bem entender.

Duvido que você nunca sentiu uma pontada de prazer em ver duas mulheres se beijando, quem sabe até procura uns videozinhos pra assistir. Ahh, mas isso pode, isso é gostoso. Querido, deixa eu te contar uma coisa, elas curtem. E assim como elas curtem, eles também curtem. E o que você tem a ver com isso? Mas não, você gosta de dar uma pausa na homofobia pra viver esse seu sonho erótico, já posso gargalhar?

Querido, vai viver a tua vida.

Essa vidinha carregada de mentiras, de tentar não enxergar a diversidade do mundo que é muito maior do que você pensa. Já que esse teu pensamento medíocre não vai mudar, absorve o fato de que pra viver no meio de outras pessoas você precisa aprender a engolir esse teu preconceito obsoleto. Sim, engolir, porque o mundo já está mudando, mais devagar do que deveria, mas está.

Que diferença vai fazer pra você se aquele cara tá se divertindo na balada, dançando do jeito que ele bem entender, beijando quem ele tem vontade? O que vai mudar no teu dia se a sua prima se apaixonou por uma amiga? Olha, se isso realmente faz diferença na tua vida, então procura ajuda, procura um psicólogo, porque o problema maior é você e ninguém merece ter que conviver com esse teu pensamento detestável. E pra finalizar, te desejo tudo de melhor e um pouco de luz pra clarear essa tua visão estagnada.

Um grande beijo e um abraço colorido.

 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Tags : Carta aberta a um homofóbicoHomofobiaHomofóbicoMayra Lima