Família

Pai ausente, por que muitos homens se afastam de seus filhos?

Pai ausente

Pai ausente, por que muitos homens se afastam de seus filhos?

Uma das coisas que mais me afetam e falo isso pensando não apenas em mim, mas também nas pessoas que me rodeiam, é o fato dos homens tratarem seus filhos com uma certa distância, o famoso pai ausente.

Nós falamos disso nesse vídeo que postamos lá no nosso canal, não esqueça de se inscrever:

Vale lembrar que isso ocorre independente do casal estar separado ou não, porque essa distância citada, não é apenas física. Na maioria das vezes, é uma distância amorosa, de sentimentos, de laços. Como se amar e cuidar, fosse apenas manter as finanças em dia, ou coisas do tipo…

Como a ausência dos homens na criação dos filhos é um fato e sabemos que isso afeta diretamente o desenvolvimento da criança, logo do ser humano, precisamos sim falar do porque os homens se afastam tanto de seus filhos.

Para isso, o Entre Cabelos e Barba propôs uma discussão entre seus leitores. Por que os homens se afastam tanto de seus filhos? As respostas ajudaram a construir esse texto, por isso, continue lendo e no final, deixe a sua opinião.

Pai ausente – Separação

Separação

Os homens se afastam de seus filhos porque não tem ligação amorosa com a mãe. Claro que a separação é um dos motivos mais usados pelos homens como desculpa para se afastarem de seus filhos. Quando há uma separação entre o casal, quem mais sofre sem dúvidas são as crianças. E aqui vamos para dois casos específicos:

Separação antes da criança nascer

Essa é aquela famosa separação que acontece geralmente porque o pai não quer assumir a responsabilidade de um relacionamento mais sério. Esse sem dúvidas é um dos maiores motivos pelo qual os homens se afastam de seus filhos. É evidente que para alguns, a separação nada mais é que a fuga de suas responsabilidades. Principalmente, as responsabilidades paternas que envolve uma criação.

Alguns fogem até mesmo das responsabilidades básicas, como a pensão, por exemplo. Outros acham que apenas a pensão é o suficiente, que fazendo isso, já estão cumprindo com suas responsabilidades de pai. Na verdade, como citei acima, a pensão é uma responsabilidade básica. Ninguém merece ser privado de amor e carinho. E ser pai, vai muito além disso!

Por falar nisso, o preconceito com “mães solteiras” é algo presente no nosso dia-a-dia, por isso temos um texto que vai te ajudar muito a entender isso:

Mãe solteira, a maioria dos homens não aceita se relacionar

Separação depois de algum tempo de relacionamento

Isso pode acontecer em qualquer estágio da vida dos filhos. Alguns se separam quando o filho ainda é um bebê, outros quando é uma criança, mas uma das coisas que mais acontece é o pai confundir a separação com a sua parceira, com a separação de seus filhos. É como se eles entrassem no pacote.

Laços emocionais são extremamente complicados, é natural confundirmos as coisas. Mas gente, filho é filho! Não dá para entrar em um pacote e ser deletado do banco de dados. Não dá para apagar uma história, muito menos a ligação que existe entre um pai e um filho.

Acho necessário falarmos de uma coisinha aqui bem importante, sai um pouco da linha do porque os pais se afastam de seus filhos (em relação a motivação partir dos homens), mas é extremamente fundamental falarmos quando isso envolve a saúde das pessoas.

É comum como forma de vingança ou algo do gênero, a mãe tentar afastar o pai das crianças, como se os filhos não precisassem mais do apoio paterno. Claro que vai do pai aceitar isso ou não, até porque ele tem direitos legais sobre a criança e acima disso, a responsabilidade paterna, como eu disse, vai muito além da pensão.

Guerrinha de casal

Muitas vezes os filhos são jogados um contra o outro, numa estúpida guerrinha de casal, que muitas vezes quem sai prejudicado é apenas uma parte, a criança. Mãe, não faça isso, não tente afastar seus filhos do pai deles e o mesmo acontece com o oposto. Talvez você esteja magoado(a) com a pessoa e ache que ela não seja capaz de dar uma educação digna para seus filhos. Mas a verdade que os maiores afetados são de fato os próprios filhos.

E pai, não confunda a separação de sua esposa, com a de seus filhos. Eles não têm nada a ver com isso e vão precisar mais do que nunca da sua presença, afinal, a separação dos pais é um estágio muito difícil na vida de qualquer um. Por falar em dificuldade, nada mais complicado que criar uma criança sozinha, mas muitas vezes é isso que acontece, porque os homens acham que a responsabilidade é toda da mulher…

Pai ausente – Responsabilidade materna

Depressao pos parto

Os homens se afastam de seus filhos porque acham que a responsabilidade da criação é da mãe. São elas que tem que manter a ordem da casa e que eles só vão intervir em último caso. Como o xerife que colocasse ordem na bagunça. Tanto é que frases como: “Seu filho é um mal educado”, é constantemente pronunciada de pai para mãe. Como se o filho fosse apenas dela. E como o fato de uma reprodução de algum comportamento ruim, fosse culpa apenas da mãe.

Além disso, quase tudo na criação de uma criança sobra para a mãe e em alguns casos, até para os avós maternos. Esse tipo de pai joga todas as responsabilidades para cima da mãe, desde os afazeres domésticos até a criação dos filhos, como se a única e exclusiva obrigação de um pai fosse colocar dinheiro em casa.

Vamos lembrar que ambos são exemplos para seus filhos. Que vão reagir, principalmente nos primeiros anos de vida, como espelhos, refletindo tudo que os pais reproduzem. Por isso, dizer que a mãe é responsável pela educação dos filhos porque ela tem esse laço materno e blá, blá, blá, é um erro comumente cometido pelos homens.

A responsabilidade de educar, dar carinho e amor é de ambos, tanto que esse comportamento será reproduzido anos mais tarde, como veremos no próximo tópico…

Pai ausente – Reprodução de velhos comportamentos

pais brigando

Os homens se afastam de seus filhos porque reproduzem o mesmo comportamento de seus pais em relação a demonstrar sentimentos. O fato do pai não estar presente nos aspectos fundamenteis para a formação e educação de uma criança. Faz o entender que isso é um comportamento natural e logo, será reproduzido anos mais tarde.

Esse comportamento é transmitido de pai para filho. A mãe, ao ver uma cena assim se repetir, também entende como algo natural, já que não teve apoio algum de seu pai na sua infância. Esse ciclo continua repetida e repetida vezes, de geração para geração. Precisa–se de um pouco de visão externa para quebrar essa “maldição”. Precisa-se entender que existe uma necessidade da parte infantil de adquirir ensinamentos e por isso, a presença paterna deixa de ser um ponto a mais, para se tornar algo fundamental.

Não podemos mais atribuir a nossas gerações passadas e também a própria formação do homem, como desculpas para não nos importarmos com nossas crianças. Essa história de que a mulher ficava em casa cuidando da cria e os homens iam caçar é válida até o ponto que entendemos que somos seres racionais e que estamos em constante processo de evolução.

Por falar nisso, uma das desculpas mais usadas em nossas gerações é a constante falta de tempo, provinda dos homens. Que atribuem ao trabalho, o maior culpado pela ausência familiar. A caça lá dos primórdios fora substituída agora pelo escritório, pelas horas extras, e a claro, a necessidade de ganhar mais, para proporcionar uma vida digna para os filhos. Por isso, nosso próximo tópico fala sobre isso.

Pai ausente – A famosa falta de tempo

falta de tempo

Falta de tempo também é uma das justificativas encontrada pelos homens para salientar a falta de proximidade com seus filhos. Muitas vezes o homem não sabe absolutamente nada da rotina das crianças. Como se fossem dois seres que habitam o mesmo espaço, no caso a casa, mas que não conhecem absolutamente nada um do outro.

Há o desencontro de rotinas, de espaços na casa, de absolutamente tudo e assim, torna-se quase impossível o entrosamento de ambos. Ás vezes nem os finais de semana escapam. E assim, surgem mais desculpas para o óbvio. Falta vontade!

Até mesmo conceitos básicos da sociedade foram alterados, dificultando ainda mais o entrosamento entre pais e filhos, mas isso se aplica ao casal e não apenas ao pai. Existem alguns exemplos, como a quase extinção da sala de estar, aonde a família se reunia, primeiramente para ouvir o rádio, posteriormente para assistir televisão.

Com o passar dos anos e o avanço da tecnologia que apesar de englobar de fato o mundo. Traz consigo o maleficio do afastamento, mesmo de pessoas que estão próximas. Com a popularização de objetos como notebook e celulares (que são praticamente computadores). O acesso a notícia e também ao entretenimento se tornou algo exclusivo e customizado. Agora o filho não precisa mais ver o programa de tv que os pais determinam. Hoje, você pode se trancar em seu quarto e assistir/fazer o que bem entender.

O distanciamento das famílias, traz consigo alguns sérios problemas e um deles é a falta de obediência por parte dos filhos. Como se os pequeninos já tivessem autonomia em suas tarefas. Assim, muitos pais usando uma velha tática de guerra patriarcal, se afastam de seus filhos para que suas vozes sejam ouvidas.

Pai ausente – Voz de comando

pai batendo na criança

Os homens se afastam de seus filhos para não perderem a voz de comando. Acredite, muitos pais usam essa tática para lá de ultrapassada para fazer com que seus filhos os obedeçam. É como se eles dissessem: “não te dou liberdade, por isso, me obedeça!”.

Velho, antiquado, old, chame do que quiser. Pergunte para sua mãe, ou sua avó, como era a relação delas com seus pais. Na maioria das vezes, eram relações distantes e com um absoluto respeito, justamente porque elas sabiam que se o pai intervisse em alguma coisa, a “cinta iria comer solta”.

Eram outros tempos e o distanciamento e as palmadas eram o método mais eficaz de educação. O não era não e ponto, sem debate, sem discussão, manda quem pode, obedece quem tem juízo. Por isso, muitos pais acham que esse é a solução mais viável para a criação de um filho. Esquecem do vazio gigantesco que era deixado por pais assim, que na maioria das vezes criavam crianças amedrontadas.

“Ahh, mas no meu tempo existia respeito…” Eu diria, medo!

Pai ausente – Por que os homens se afastam de seus filhos?

pais brigando na frente da criança

É realmente complicado cravarmos um motivo exato para o porque dos homens se afastarem de seus filhos. Como citamos acima, existem vários motivos e claro, cada pai tem o seu. Fato é que concordamos que para a criação saudável de uma criança há sim a necessidade da proximidade paterna. São os inúmeros casos de pessoas emocionalmente abaladas. Que encontram o início do problema justamente na falta de explicação do porque seu pai se afastou.

Não duvido que muitas pessoas se culpam por isso, tanto de um lado quanto do outro. Tanto pais quanto filhos se culpam por não conseguir. Ou não terem conseguido uma convivência harmoniosa um com o outro. Creio eu que nunca é tarde para tentarmos, talvez, isso não supra o vazio deixado lá na infância, mas talvez isso amenize um pouco as dores que é não ter alguém que você tanto admira e ama por perto.

Pai ausente – Se você está vendo o pai de seu filho se afastar, fale

Como mostrar para o seu companheiro que a presença dele é fundamental na criação de seus filhos? Não posso dizer que é simples. Mas creio que parte do princípio que algumas pessoas ás vezes nem percebem que estão se afastando. Talvez o simples fato de conversar a respeito já gere uma mudança nas atitudes tomadas.

Por isso, não deixe isso se prolongar, quanto antes houver uma intervenção melhor. O tempo passa voando e quando você perceber será tarde demais. Mas se por acaso você já conversou e mesmo assim o sujeito continua não cumprindo com seu papel. Acho que aí existe a necessidade de procurar ajuda de um profissional.

Pai ausente – Não seja um pai apenas quando lhe convém

É legal bater uma fotinho com o seu filho e postar nas redes sociais que você é um pai bacana. Desde que isso seja verdade. É comum encontrarmos pais que são pais apenas quando lhes convém. Tenho certeza que você não precisa ir muito longe para encontrar aquele sujeito que bate no peito e diz com orgulho que está presente na formação de seu filho, mas quando o problema aparece, larga tudo nas costas da mãe.

É comum também acharmos os pais de final de semana, aqueles que só estão ali para a diversão. Levam os filhos no shopping, pagam sorvete, bala, levam no cinema, no parquinho, mas quando é chamado na escola, nunca tem tempo.

Não seja esse tipo de pai! Tenho certeza que seu filho se sentirá a criança mais amada do mundo quando você estiver preocupado também com os estudos dele, com uma apresentação de teatro, um jogo de futebol ou qualquer coisa que a sua presença seja importante.

E isso claro, inclui aquelas famosas conversas que sempre sobram para as mães fazerem, desde a infância até a adolescência. Você pai, deve estar presente nessas conversas e mostrar que também está ali para o que precisar. Ás vezes é só isso que seu filho precisa e cá entre nós, uma conversa pode mudar o rumo de uma vida.

Pai ausente – Algumas pessoas se aproximam depois de uma certa idade

Algumas pessoas se aproximam depois de uma certa idade, o que não quer dizer que o que foi perdido seja recuperado, mas é um passo. Conheço alguns casos que pais e filhos se aproximaram apenas na fase adulta. Talvez por ser um momento de maturidade e até mesmo de terem agora coisas muito parecidas, o que gera uma afinidade maior.

Fato é que nunca é tarde para tentar uma reaproximação, seja você pai, seja você filho. O diálogo vai ser sempre o carro chefe para algo desse nível acontecer. Por isso, não custa nada você tentar ter uma conversa bacana com o seu velho, saber do que ele gosta e até mesmo, saber de suas histórias.

O mesmo acontece se você se aproximar de seu filho, saiba que a nova geração tem muito a ensinar e não se limite a pensar que por ser mais velho você sabe tudo que deveria saber. A vida vai ser sempre uma constante troca, e a troca mais preciosa com certeza é a de carinho, de emoções. Nunca é tarde para ser/ter aquilo que sempre desejamos. Nunca é tarde para pedir desculpas. Nunca é tarde para demonstrar aquilo que você sempre quis demonstrar.

Pai ausente – Dicas básicas para pais que querem se aproximar de seus filhos

pai e filho caminhando no campo

Já passamos do momento de entender que a criação é responsabilidade dos dois. Felizmente, existem casais estruturados o suficiente para entender isso e aplicar na pratica. Assim como as tarefas domésticas, a criação de uma criança deve ser dividida de forma igual. Não pai, você não está ajudando, você está cumprindo com sua obrigação!

É importante entendermos também que a criação além das atividades programadas e obrigatórias. Passa por algo extremamente necessário que se chama tato. É disso que uma criança precisa! Precisa de adultos que entendam o que ela está passando e possam proporciona-la a melhor experiência possível. Seja educando em momentos com seriedade, mas também mostrando que a vida pode ser sim seu parque de diversões.

Entendendo isso, entendemos que a criação é muito mais que criar conforto através do dinheiro. É mostrar que você pode ter tudo, mas ás vezes isso requer tempo, calma e trabalho. O respeito nunca deve vir através de ameaças, mas sim através de confiança. Se você mostrar que sabe o que está fazendo e principalmente mostrar o porquê, não há dúvidas que seu filho o obedecerá.

Pai ausente – Ser pai vai muito além dos laços de sangue

Nós do Entre Cabelos e Barba entendemos que ser pai vai muito além de laços sanguíneos. Pagar as contas ou dar a palavra de ordem. Até porque seu filho só o reconhecerá verdadeiramente como pai. Se você estiver presente nas mais importantes fases de sua vida. Ele não vai te respeitar pelo sangue, nem pelo dinheiro que você nunca deixou faltar, muito menos pela sua autoridade. Por isso lembre-se, ser pai é estar presente, é estar preocupado, mas também é amar, é dar carinho, é conversar.

Entendemos que uma conversa franca, de pai para filho ou até mesmo de filho para pai. Pode mudar o rumo de uma vida. Ás vezes tudo que seu filho quer é um pouco de atenção e afeto, afinal, quem não gosta disso? Trata-lo como uma criança, faz parte, entendemos que existem etapas em nossas vidas. Mas nem sempre trata-lo apenas como uma criança vai resolver. Muitas vezes você precisa se colocar no lugar dele, muitas vezes você vai ter que coloca-lo em seu papel. Conversa olho no olho, explicando a real motivação com o coração aberto, une as pessoas.

Pai, seu filho precisa de você muito mais do que você imagina. Então tente ser aquilo que você gostaria de ter tido quando era criança.

Pai ausente, como conviver com isso?

É realmente frustrante viver sem a presença paterna. Algumas pessoas vivem bem com isso, outras nem tanto. A verdade é que a responsabilidade é dos dois, independente se você quer ser pai/mãe ou não. Colocar alguém no mundo é de uma responsabilidade gigantesca.

Vamos sempre bater na mesma tecla, diálogo é extremamente importante. Por isso nunca deixe de conversar, seja você mãe que está vendo seu filho sentir a ausência de seu pai. Seja você pai que tem dificuldade em criar laços mais próximos com seu filho. Seja você filho que sente a ausência de seu pai.

O que acontece é que muita gente se tranca em seu casulo. Totalmente compreensivo, mas que muita das vezes não resolve os problemas. Se a ausência de um pai compromete a vida saudável dos filhos, então precisamos falar sobre isso! Precisamos parar de colocar a culpa nisso ou naquilo e começarmos a assumir nossas responsabilidades. E isso inclui o ensinamento para as próximas gerações. Não podemos mais admitir que essas coisas aconteçam.

Amigo(a) se seu pai não esteve/não está presente na sua vida. Entenda uma coisa: o menos culpado disso tudo é você!


Se você gostou desse texto – Pai ausente – deixe sua contribuição nos comentários que fica logo abaixo. Ler o que você está pensando, o que você está sentido, faz com que melhoramos ainda mais o nosso conteúdo. Pois no fim, o que queremos é proporcionar mais qualidade a sua vida. Se você acha que tem algo que ainda precisa ser dito nesse texto. Deixe seu comentário, estamos aqui para te ouvir!

Inscreva-se no nosso canal no YouTube – Entre Cabelos e Barba

 

Leia mais