Dança

A gente segue porque é preciso, mas têm dias que é por obrigação.

E silenciosamente, todos os dias, pedi que não desistisse de mim. Mas, como insistir em alguém que deixou de ter coisas boas pra oferecer? Não sei. Eu no seu lugar faria o mesmo, ficaria onde está. Longe.

Acontece que o tempo passa e um dia, em algum bar, entre uma dose e outra, paramos de chorar, de reclamar e criamos coragem na música bonita que toca, de convidar aquela menina pra dançar.

E na dança, deixamos a dor de lado. Deixamos a despedida no bolso, embora algum amor continue no coração.

O corpo mexe pra lá, mexe pra cá. A música fica guardada na lembrança com aquela dança. Que sorte encontrar alguém, que faz teu corpo mexer novamente. E nem dói. A gente consegue chacoalhar a dor e por mais que seja vagarosamente, ela acaba sumindo.

Começamos a acreditar que somos bons e o coração devolve o que por uma vida inteira tínhamos pra oferecer e que estava esquecido.

E tudo isso não é por causa de uma dança é porque a vida exige que fiquemos bem e nos encaminha pra isso.

A gente cansa de chorar, de buscar filmes e músicas tristes pra disfarçar tudo o que nos dói, porque há fases que o corpo inteiro sente, só porque alguém foi embora.

Não se pode, de forma alguma, ser infeliz a vida inteira. Pessoas bonitas e danças existem em todo lugar e a nossa vez está reservada, nos esperando criar coragem.

Um dia, deixa de doer. Um dia, uma menina bonita aceita dançar e te olha nos olhos. Deita no teu colo no banco de um carro frio e conversa contigo e se interessa por qualquer coisa que venha de ti. E sem perceber, isso se torna recíproco.

Um dia, a vida te ensina algum sentido novo e o mundo ganha outras cores. Um dia, tu sente que está de mãos dadas com a menina mais bonita e nem acredita que ela nem pensa em te dizer adeus, que quer ficar e que achou algum motivo em ti pra continuar insistindo.

Um dia, a vida se encarrega de te entregar alguém que vai te acompanhar em todos os momentos, até aqueles em que se está na pior, sem grana, sem bom humor, sem emprego, fodido. Mas, também ela será parte do que te fará melhor e leve. Será teu sonho, tua morada e tudo o que incomoda, não terá importância, porque o que construíram sempre será maior.

E vocês continuarão a dançar, como na primeira vez. Sempre.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário