A gente pode se desculpar pelos erros passados (e perdoar também)

Hoje acordei com um casal brigando no prédio da frente. A menina gritava “Para! Para! Saí daqui”, e se ouvia ela chorando e coisas batendo. Fiquei nervosa, agoniada, não sabia o que fazer. Normalmente nem vou para janela olhar, mas a agonia de não saber o que estava acontecendo ali estava me incomodando.

Eu me lembrei das coisas que passamos, das brigas que vivemos, e senti o que as outras pessoas sentiam quando presenciavam isso. Me deu um aperto no peito, e uma sensação de “como pode, depois de tantas coisas horríveis a gente ainda conseguir ter carinho e afeto um pelo outro?”. Eu denunciei, eu estava em um relacionamento abusivo sim, ele me maltratava, mas talvez eu também maltratasse ele de outras formas.

Você vai gostar: O amor tem muito mais a ver com aceitar os erros do que amar as qualidades

Tínhamos um forte agravante, uma substância altamente nociva que mexia com nosso psicológico, com o nosso emocional. Nós dois ficávamos frágeis, deslocados, desviados dos nossos reais objetivos. Talvez não enxergássemos como nos fazíamos mal. Nossas vidas giravam em torno daquilo, nossas brigas só aconteciam por causa daquilo. Eram brigas horríveis!

Quando isso não acontecia sabíamos nos amar, nos respeitar, nos tratar com mais amor.  Não posso negar que alguns fatores não batiam, alguns moralismos e falsos moralismos que eu tentava quebrar. Mas mesmo assim, mesmo tendo visões diferentes, a gente conseguia conversar, ouvir um ao outro. E mesmo que discordássemos nossas discussões acabavam sendo construtivas, nos faziam pensar e refletir sobre nossas opiniões.

Tivemos muitos dias bons, dias que nos amamos, que nos presenteamos, que aproveitamos a chance de estarmos juntos. Não vejo as coisas como ruins, e não temos raiva, não temos rancor. Temos a consciência dos nossos erros e estamos trabalhando para não cometermos eles de novo. Somos humanos, somos iguais e, por isso, devemos nos respeitar.

Não importa quem desagradou quem

Não importa se um desagradou ao outro e nem quem desagradou quem, importa é que, mesmo assim, não poderíamos, não podemos perder o RESPEITO! Falar o quanto aquela atitude magoou, demostrar algum sentimento não é errado, o errado é o desrespeito, é passar de uma discussão para uma agressão. E não importa se essa agressão é física. As palavras agridem sentimentalmente. Perdemos o respeito com nós mesmos.  Já desrespeitamos a nós mesmos quando não nos cuidamos e, até mesmo, quando nos demos o direito de magoar um ao outro.

Somos iguais, não é mesmo? Logo se eu não gosto de ser magoada o outro também não gosta. E aí vem mais uma coisa importante que ás vezes nos esquecemos de ter: EMPATIA. Sim, se colocar no lugar do outro teria evitado muitos problemas. Poderia dizer que o respeito e a empatia caminham lado a lado, se existe um casal perfeito é esse, pode acreditar! Como posso querer que o outro me respeite se eu não respeito outro.

Nos desculpamos pelos erros passados e estamos aprendendo, estamos evoluindo. Se assim não fosse qual seria a razão para tantas coisas ruins terem acontecido? Aprendemos a reconhecer o que nos fazia mal e o que nos levará à felicidade e passamos a viver para isso. Desta vez estamos voltados para ser feliz! Esse é nosso real objetivo! E só devemos fazer só o que nos faz feliz! Não importa se vamos fazer isso juntos ou não, temos mil opções, mil caminhos a seguir. E, tudo bem se um decidir seguir um caminho diferente, o que importa é que a gente nunca deixe de lutar pela nossa felicidade!

Leia também: Respeite o espaço do outro

Não sei quais eram os problemas daquele casal, muito menos o motivo da briga. Mas sei que nada justifica agredir. Não acho que ele ou ela sejam pessoas ruins, talvez também estivessem desviados dos seus objetivos. Estivessem perdidos como nós estávamos, e cometendo os mesmos erros que nós cometemos. Já fiquei muito nervosa, quebrei coisas, agredi. Fiz coisas que eu não gostaria de ter feito e que estou buscando não fazer novamente. Mas é isso, a vida é viver, aprender, utilizar os nossos erros para sermos pessoas melhores.

Acredito sim que podemos mudar, que podemos reconhecer nossos erros, ter respeito e empatia pelo outro. Bem, talvez não seja assim com todos, talvez existam pessoas muito ruins, capazes de cometer atrocidades. Ou talvez elas estejam apenas doentes e incapazes de sentir respeito e empatia. Mas nem todos são assim, respeito e empatia é algo que se aprende, e quanto antes melhor. Porém nunca é tarde, sempre há tempo para aprender, pra mudar, amar ao invés de odiar e, claro, SER FELIZ!!

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário