Eu fico com o cantinho da cama e com o seu coração

Eu tragava meu cigarro com os pensamentos a mil. Debruçada sobre a janela, com a camiseta dele, a da banda preferida, um tanto de pele descoberta e eu podia sentir o olhar dele sobre mim, praticamente me devorando. Viro-me e dou de cara com a cena que mais gosto de ver ele protagonizando.

Entre observadas, ele escreve e bate o cigarro na ponta do cinzeiro, dá um gole na cerveja e volta a se concentrar, dizendo-me que a próxima canção escrita, seria sobre mim. Eu sorrio largo, meu sorriso alcança a altura das orelhas, e como se não bastasse ele dá aquela piscadela que me faz sentir arrepios, logo abaixo do meu ventre. Caminho até ele, dou-lhe um beijo casto, fecho os olhos e sento em seu colo. Com as mãos no rosto dele, posso sentir o seu sorriso, aquele sorriso que derreteu as geleiras que haviam em mim.

Ele

Ele tem aquela fama de mal, a cara fechada, escuta heavy metal pra se acalmar, enquanto eu, ouço cidadão quem. Mas quando estamos sós, eu o sinto por inteiro, eu sinto a essência. A essência que sorri enquanto corro seminua pela casa, tentando brincar de pega pega. A essência que me pega com força e me enche de beijos por todo rosto, que me coloca sentada na ponta da cama, me faz rir e ainda põe minha mão sobre a barba, como quem diz: “Eu ordeno que me faça carinho”.

Eu gosto tanto de ser eu mesma e sinto que ele gosta que eu seja assim, me dá condições, me apoia, diz que ama meu jeito “espoleta” e cada vez mais, eu só sei sorrir e ser feliz.

Penso nele enquanto volto para minha vaga cativa na janela. Observo a lua, agradecendo ao céu, a poeira estelar, aos movimentos cósmicos, a rotação da terra, seja lá o que for. Agradeço por tê-lo encontrado.

O jeito que ele me toca

Sinto algo sobre meus ombros, são as mãos, colando meu corpo ao dele, balançando devagar. Ele toca meu rosto, com tanta delicadeza, não sei, mas parece que tem medo de me quebrar. Nossos corpos já não podem mais ficar separados, é como se cada vez que nos distanciamos, o calor se dissipasse. Ele deve sentir o mesmo, pois cola tanto o corpo no meu, que até acho que somos um só. Na minha cabeça toca uma música lenta, não ouço a letra, mas a melodia toma conta do meu corpo e eu acabo colocando as mãos pra trás, na tentativa de toca-lo.

Momentos de amor

Momentos como esse me fazem sentir princesa, embora ele não goste de princesas, ele gosta de mim, porque não tenho frescuras. Nos encaixamos perfeitamente em tudo. Sinto que nascemos um para o outro. Mas que fique bem claro, ele quem me conquistou, nem precisei impor nada, me aceitou louca. Com todos os defeitos e qualidades, aprendeu amar cada parte disso tudo. E eu aprendi amar cada parte dele, entre nós funciona tudo como uma troca. Eu me entrego por inteira e ele faz o mesmo.

Os livros são meus, os discos são seus, eu fico com o cantinho da cama e o seu coração.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário