Eu não quero ter filho, sou um monstro?

Eu não quero ter filho, sou um monstro por isso?

Eu sempre quis ter um filho, mais exatamente um menino: “Meninos são fáceis de cuidar, meninos são isso, meninos são aquilo… Quero ensinar o meu filho a ficar com todas as menininhas da escola, quero ensina-lo a jogar bola, quero ensina-lo isso e aquilo…”

Hoje, posso garantir a vocês que não me sinto a altura se quer de cogitar um filho, mas se fosse para ter um, que fosse uma menina!

Fizemos um vídeo explicando o nosso ponto de vista, assista clicando nesse link: Eu não quero ter filho

Por que não me sinto preparado para ter um filho?

Cada vez que vejo uma notícia, principalmente sobre violência doméstica, estupros, femicídios e tantos outros crimes envolvendo as mulheres eu sinto como se a sociedade tivesse falhado. Na verdade, eu não sinto, eu tenho a plena convicção de que erramos e continuamos a errar.

E onde podemos encontrar esses erros? Lá atrás, na nossa infância, na infância de tantas pessoas. Em pensamentos retrógrados como o que eu tinha. Aonde damos a total liberdade para os meninos. Os livramos de responsabilidades e ainda por cima, damos para eles o direito de decidirem o que quiserem. Entenda, dar liberdade para as crianças em relação as suas imaginações são válidas, mas para a convivência em sociedade há sim a necessidade de darmos certos limites. E esses limites vão até aonde esbarra no limite do outro…

Ensinamos as meninas a chegarem cedo, porque a rua é perigosa, mas não ensinamos os meninos a respeitarem as meninas que estão sozinhas a noite. Ensinamos as meninas a usarem roupas mais “comportadas”, mas não ensinamos os meninos a não ultrapassarem os limites das outras pessoas…

E tantas outras coisas das quais é pregado uma espécie de culpabilização da vítima. Esses tempos ouvi em uma rádio local que as mulheres não deveriam ir ao carnaval, porque lá há uma cultura da qual os homens passam a mão aonde querem, falam o que pensam e ainda tentam te beijar a força.

O foco está errado

Será mesmo que temos que falar para as mulheres que elas não devem ir, ou devemos falar para os homens pararem de serem inconvenientes? Talvez seja essa liberdade que é dada para os meninos da qual eu não concorde. Desde quando você pode ser evasivo com outra pessoa? Quem te deu esse direito?

De uma forma geral, “damos” esse direito. A sociedade protege o erro e culpa a vitima. Então, como eu, mero mortal posso passar por cima de tudo isso e criar um serzinho assim, que não tem proteção alguma, filtro algum de uma sociedade violenta e doentia?

Não consigo conviver com o fato de que estaria com as mãos atadas. Por mais que eu desse o norte, não seria eu a caminhar rumo a essa direção então eu realmente estaria perdido. Vendo de longe o meu anjinho a deriva. Aplausos para os pais que suportam isso, eu não teria condições. Por isso, não me acho capacitado a ter filho.

Mas se um dia acontecer e você tiver um filho?

Se algum dia acontecer, também não será o fim do mundo. Conheço diversas pessoas que foram pegas de surpresa e hoje se mostram mães e pais maravilhosos. Também não acho que ser mãe está no sangue, apesar de entender que uma mãe tem muito mais laços com uma criança que um pai.

Mas de algum modo, as pessoas aproveitam a ciência para se livrarem de suas responsabilidades. Um pai tem a mesma responsabilidade na criação, na formação de uma criança quanto uma mãe. Não venha se desculpar e se defender atrás de embasamentos científicos que essas coisas valem até certo modo. Quando falamos de criança, de paternidade estamos falando, acima de tudo, de seres humanos.

Talvez esse seja mais um dos motivos pelo qual não me sinto preparado. Não consigo me ver distante de meu filho, como os homens do passado faziam. Como o meu pai e o pai de tantas pessoas fazem. Não consigo ser esse ser frio e longe. Eu sei que eles amam, mas amar também é demonstrar.

Vou contar uma coisa para vocês, essa coisa de que mãe é mãe por traços genéticos é tão falácia que sou adotado e me sinto tão amado quanto meus irmãos, mesmo minha mãe não tendo absolutamente nada geneticamente ligado a mim.

Então pais, parem de se desculparem. Vocês não têm porque se esconderem atrás das mães, muito menos tem motivos para estarem longe e serem frios. Filho é responsabilidade dos dois em absolutamente tudo!

Por falar nisso, quero escrever um texto falando sobre o porquê da maioria dos pais serem tão ausentes na criação de seus filhos, mas para isso eu preciso da sua ajuda. Deixe nos comentários quais seriam os motivos, na sua opinião, para que os homens se afastem tanto de seus filhos. Desde já, meu muito obrigado!

Ser adotado…

Parece o fim do mundo para alguns, e para outros uma anomalia gigantesca. Como assim você é adotado? Aquelas piadinhas perdem a graça na hora e a pessoa engole seco quando eu revelo isso. “Você está brincando né!?”

Não, não estou brincando! Sou grato a cada virgula que escrevo a vocês, porque sei que sem minha família adotiva, eu não seria o que sou. E calma gente, ser adotado não é o fim do mundo. Em muitas ocasiões é até melhor, como ganhar os mimos no Natal, por exemplo, rsrs.

Claro que quando há uma briga com a sua irmã e ela diz que você foi achado na lata de lixo não é nada legal. Mas depois ela pede desculpas e fica tudo bem. No fim, a única tristeza para uma criança é não ser amada.

Por isso, se eu fosse ter um ser humaninho, eu com certeza adotaria. Ver o sorriso daqueles que já haviam perdido as esperanças é algo indescritível. Talvez seja isso que minha mãe vê a cada sorriso meu. Talvez seja essa a sensação da qual ela descreve como um presente de Deus.

Mesmo assim, continuo não me achando preparado para ter um filho…

Por que mudei meu pensamento?

Eu realmente queria um filho, queria adotar uma criança e como disse lá em cima eu queria um menino. Porque queria ensina-lo a jogar futebol, sabe aquelas coisas de frustração. Pois é, pais adoram colocar suas frustrações em cima de seus filhos.

“Seja isso, seja aquilo, faça isso, faça aquilo… Porque se eu tivesse tido a tua oportunidade hoje eu seria tal coisa!”

Não seja assim! Não deposite seus desejos e suas frustrações em cima de alguém que nada tem a ver com isso. Ele é seu filho, merece que você deposite ali toda confiança e amor e o resto é por conta dele. Quantas pessoas reclamam de seus pais porque eles são verdadeiros pés no saco. Impondo coisas, exigindo outras tantas. Não seja assim!

Acabei mudando meu pensamento quando percebi que não estaria apto a exercer tal função. Ser pai é uma das funções mais importantes que você pode exercer na vida e não, eu não estou preparado. E se caso estivesse, eu queria ter uma linda menina. Nada de princesa! Queria uma dessas guerreiras que vejo por aí. Com sangue nos olhos e a vontade de mudar esse planeta. Viu!? Olha eu colocando minhas frustrações em cima de alguém mais uma vez.

Bom, se eu tivesse uma menina ela seria o que ela quisesse e talvez seja isso que falte ao mundo. Deixa o seu filho ser o que ele quiser!

Criando uma menina

Imagina que louco seria se os pais em vez de impor coisas, mostrasse os dois lados. Mostrasse os caminhos e deixasse que suas crias, fizessem suas escolhas. Que tal não impor um deus, um time, uma posição política, uma carreira da qual a pessoa tem que seguir. Que tal não impor padrões como: “você tem que ganhar muito dinheiro, ou você tem que ter tal coisa para ser bem sucedido.”

Imagina que louco se criássemos nossas crianças ensinando as a respeitar o próximo, a amar o próximo independente do que ele seja. De que todos somos iguais, independente de classe financeira, de cor, de credo. Já imaginou que louco?

É, as vezes me pego nesses pensamentos utópicos e eles me mostram que não estou preparado. Não serei um pai tão cedo, talvez, nunca!

Agora imagina que lindo criar uma menina que não tenha medo de andar na rua. Não porque ela vai bater em qualquer um que aparecera, nem porque ela vai correr mais rápido que qualquer um. Mas pelo simples fato de não haver ameaças a sua integridade física. Porque simplesmente todas as pessoas se respeitam.

Sim, se fosse para ter um filho eu queria ter uma menina. E que ela pudesse passar tudo que eu imagino de um mundo perfeito para outras pessoas, para outras gerações…

Eu não quero ser pai e você pode muito bem não querer ser mãe

Viu como eu bati na tecla de que não me sinto pronto, de que não quero ser pai e você já parou para pensar que muitas outras pessoas tem o mesmo desejo? Já parou para pensar que as mulheres também têm esse direito?

Desde sempre a maternidade foi tida como algo sagrado. O que não quer dizer que não seja. Mas a vida de uma pessoa que não pode e que não quer ter filhos não pode ser menos importante por isso. Vamos lembrar de respeitar os coleguinhas por suas decisões. Se para você é de vital importância ter um filho, isso não quer dizer que para todos sejam.

Sim, algumas mulheres simplesmente querem outras coisas para suas vidas. Já foi o tempo que a obrigação da mulher era ficar em casa cuidando de suas proles. O que não quer dizer que isso não seja importante. Quero dizer que cada pessoa tem a liberdade de escolher o que achar melhor para sua vida.

Não há nada mais chato que alguém perguntar para você quando você pretende ter uma criança e você responder que não terá filhos e a pessoa ficar ali insistindo e dizendo o quanto isso é uma benção. Amigo, não seja inconveniente! Você tem suas prioridades, não imponha elas para todas as outras pessoas.

Quem sofre muito com isso são as mulheres que estão focadas em suas carreiras profissionais e que não tem espaço hoje para terem filhos. “Você não tem medo de ficar muito velha?”. Gente, existe adoção e além do mais, o que você tem a ver com isso?

A imposição da sociedade: você têm que ter filhos!

Esses dias cheguei em casa e como minha mãe é viciada em novelas mexicanas, pude presenciar uma cena que me causou enjoou. Sim, a tv mexicana é machista e isso eu já tinha percebido (a brasileira também). A cena era a seguinte: a vilã, uma mulher linda, jovem, estava conversando com uma senhora que eu não faço ideia de quem seja. Essa senhora pergunta se ela não vai ter filhos e a resposta da vilã é de assustar. Não quero ter filhos, esses pirralhos imundos, que só incomodam…

Você precisava ver a reação da mulher que estava ouvindo o que ela falava. Até eu fiquei achando que a pessoa era um monstro. Ok, era a vilã, mas vocês estão entendendo que é isso que eles querem passar. Que quem não quer ter filho é um monstro. Tá, talvez eu fui longe demais, mas é só ver a reação das pessoas quando você diz que não quer ter um filho.

Viu, você provavelmente já se sentiu um monstro ou já julgou alguém assim…

Não ter filhos é o fim do mundo?

Óbvio que não e eu nem preciso me prolongar a respeito. Fim do mundo é você pensar isso. Fim do mundo é você julgar quem não quer ter filhos, mas fazer vista grossa para as milhares de pessoas que criam seus filhos como se fossem… Sinceramente não tenho nem palavras, talvez indigentes, não sei.

Mas fazer vista grossa para as atrocidades que acontecem com nossas crianças, desde a criação, o acesso a educação básica, a saúde e até mesmo a alimentação, fora os inúmeros abusos, desde trabalho infantil até prostituição. É um tanto quanto contraditório. É mais importante ter um filho que cria-lo de forma justa? Não, óbvio que não! Então pare de impor isso as pessoas e pense em como você está criando seus filhos…

Você está preparado para criar um filho?

Está preparado para impactar gerações? Está preparado para gerar o futuro do mundo? Então pare de julgar os outros e concentre-se no que interessa. Na sua capacidade de fazer um mundo melhor e mais justo. Com crianças sabendo seus limites e acima de tudo, que estejam prontas para respeitar as escolhas dos outros, coisas que você talvez não esteja!


Assista nosso vídeo e inscreva-se no nosso canal!

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

Tags : AbandonoAdoçãoEu não quero ter filhoFilhoJoelson MadeiraMãeMãe que não quer ter filhoMãesMaternidadePais ausentesPaternidade