Não deixe o laço virar nó

Por todo tempo eu busquei onde me apoiar. É, essas pessoas que escutam a gente, que dão risadas, e que permanecem quando as coisas não vão bem. Sempre fui a menina dos conselhos sabe?! Aquela que todo mundo procura quando o nó aperta. Aquela que sempre tem algo pra dizer, que sempre sorri, e nunca precisou de um ombro amigo. Bom, isso é o que sempre pensaram.

Queria saber quem foi o “Zé mané” que criou essa imagem forte sobre mim.Essa imagem de mulher decidida, pronta e sem problemas. Só sei dar conselhos, nada mais. Sabe aquela frase clichê “Dava conselhos que nem ela mesma seguia”. Ela se encaixa perfeitamente.

Leia também: Falta um pouco de amor próprio 

Vivia nessa de sempre ser procurada quando o nó de alguém apertava. Então eu guardava os meus no bolso, colocava um sorriso no rosto e ia com minha caixinha de conselhos no peito, sempre me perguntando quando é que alguém iria fazer isso por mim.

Confesso que não entendi de começo

Alguns meses depois, li no tumblr uma frase mais ou menos assim: “Você a si pertence, e ninguém melhor que você pra saber disso”. Confesso que não entendi de começo. Adicionei a frase às minhas notas e deixei por me esquecer dela. Esses dias estava eu fuçando nas coisas, e finalmente entendi o sentindo da coisa toda.

Ninguém melhor que você pra saber quando seu laço passou a ser nó. Esquecer ou pedir ajuda a uma segunda pessoa às vezes é mais fácil. Mas nem sempre adianta.

É muito mais satisfatório desatar aquilo que lhe aperta e entender que só você se entende por completo e só você pode ajudar a si mesma. Só é possível desatar os nós quando se enxerga a beleza que carrega dentro de si mesmo. Por isso menina, nunca deixe o laço virar nó. E se virar, o torne laço de novo. Só que a cada vez mais forte e mais lindo.