O problema é esperar do outro o que nem ele espera de si

O problema é essa mania que a gente tem de sempre dar mais que pode. De dar coração para quem não troca pelo seu. De ser avesso, de mostrar tudo o que vai dentro, tudo o que deveria ficar escondido e protegido na alma… É essa mania de ser abraço e de ser calor com quem não devolve afeto.

O grande problema é ser amor quando o outro é indiferença . É ser apego quando o outro é individualismo. É essa tendência que a gente tem para ser dor. Dor doída, daquelas que deforma a felicidade e deixa ela de cara inchada. É esse vazio que toma conta quando a música toca. É esse espaço desocupado no armário quando alguém faz as malas e vai embora.

Leia também: Não te espero nem por mais um dia

A ausência sentida nos domingos de chuva, nas festas bobas de final de ano, na caixa de mensagens vazia, na cama que fica maior que era, nos lençóis que quase não bagunçam mais…É a falta de brilho nos olhos e a falta de brilho nos dias que começam a passar mais devagar. 

O grande “x” da questão é esse hábito que a gente tem de ser tanto para quem é tão pouco. E de querer tudo de quem não tem nada a doar. O problema é esperar do outro o que nem ele espera de si. É não enxergar quando acaba. É fingir que é bonito. É não aceitar o fato de que não deu, de que você errou, de que vocês erraram, é juntar  cada pedacinho que sobrou e recomeçar…

O problema, é essa mania de ser saudade quando o outro é distância… 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário