O que sobrou de nós

A sua partida me afeta. O vazio ecoa na casa, na falta das tuas mensagens no meu celular. E não tem nenhum pedido de comida especial para o final de semana. Agora não tenho ânimo pra cozinhar. Eu peço pizza e sobra. Além do que sobrou de nós…

Os amigos se dividem entre nós dois e eu quase penso em me afastar de todo mundo que me lembra de ti. Mas não resisto em perguntar se você tem falado de mim.

Às vezes eu não preciso nem perguntar pra ninguém. As pessoas simplesmente não conseguem escapar do assunto do momento: o nosso término repentino. As pessoas querem entender, eu não tenho vontade de explicar, talvez nem eu saiba direito.

Mas as horas passam e eu não paro de pensar em tudo que a gente foi. Em como é doloroso deixar de ser nós, mudar o rumo, escolher sozinha um filme no catálogo da Netflix e encarrar aquele almoço de família sem você.

Eu dividia meus dias inteiros, contava os pormenores deles, e em cada pedacinho: você, você, você.

E agora, o que sobrou de nós?

desistindo do relacionamento

Os resquícios da nossa mistura na cama, teu cheiro no meu travesseiro, nas minhas roupas e aquele moletom velho seu, que tenho usado o tempo inteiro, só faz doer mais um pouco.

Tenho vontade de trancar a porta e ficar segurando firme pra dor não entrar. Só que ela está aqui dentro também e age de uma maneira que eu não consigo controlar.

Leia também: A paixão acabou para você, o amor ficou em mim

Assisto tv com o controle na mão pra trocar rapidamente quando passar alguma cena de casal apaixonado. Porque não consigo imaginar que a gente não pode mais estar assim.

Ou pior, te imaginar assim com outra. Beijando, fazendo carinho, tendo uma conversa agradável, sendo engraçado, caramba, como você é bom em conquistar alguém.

O que sobrou de nós além das lembranças?

O que sobrou de nós além disso foi apenas eu tentando te encontrar de mil maneiras.

Dirijo no modo automático. As vezes nem sei como chego em casa. Fico procurando você até no trânsito. E todos os carros do mesmo modelo que o seu me chamam atenção. Penso que quero te encontrar no transito, penso que não quero te encontrar nunca mais.

E esse misto de sentimento vai aumentando a confusão. Afinal, será que você vai me ligar? Será que está acompanhando as minhas redes sociais e vendo minhas fotos novas, minhas fotos incompletas, minhas fotos tentando seguir em frente?

Você se importa ao menos em como eu tenho enfrentado tudo isso? Se te interessar, saiba que tem sido terrível.

Mesmo que eu saiba que essa é a dor que vai me fazer superar os dias gelados que tive que passar do teu lado. Dias que implorei por carinho, por um sinal, um pedido de ajuda, uma simples conversa.

Você realmente só pensa em você

homem e mulher se olhando através da porta

Você realmente só pensa em si mesmo. E pode ser que esteja agindo corretamente. Se eu tivesse olhado e pensado no que seria melhor pra mim, provavelmente não teria retribuído o sorriso e as mensagens.

Porque no fundo eu sabia que a gente não tinha um futuro. Algo me dizia que a sua vontade de ser livre sempre falou mais alto. Que a sua fama de conquistador não poderia ser reduzida a pó.

Você e eu usamos esse amor, que ficou gasto rápido demais por não ser de qualidade. Que não durou porque só o meu lado abria mão de algo. E você… Seu lado nunca era negociável.

E por fim você sai parecendo aquele que sabe o que quer da vida. E eu como aquela que criou expectativas demais. Como aquela que caiu na lábia do galanteador, como mais uma que ele iludiu e dispensou.

Juro que eu queria dizer algo racional, mas até agora só consigo pensar que você não faz ideia do que procura. E claro, eu posso pensar isso por raiva, por magoa e ressentimento que estão fortes aqui. Mas eu tenho uma explicação para cada coisa que fiz por você, por mim, por nós. Mesmo aquelas que são difíceis de admitir, eu sei.

E você é um grande ponto de interrogação, composto por milhares de questões a serem respondidas.

Queria dizer pra você não me ligar, não curtir minha fotos, não falar de mim para os nossos amigos, e parar de fazer o “me importo/não me importo”.

Porque mesmo que eu goste de saber que de alguma forma você pensa em mim, isso não me ajuda a processar os meus dias sem você, que tem sido difíceis de enfrentar.

Um final bonito seria eu dizendo o quanto está fácil seguir em frente. Como eu queria dizer que minha vida segue bem sem você. Mas não está, e mesmo assim eu vou seguindo…

Estou me preparando pra pegar o que sobrou de nós e jogar no caminhão do lixo em breve. Mas no fundo não sei se isso vai passar tao rápido assim. Faz um mês e ainda dói.

Mas vou me empenhar em acreditar que o tempo, mestre caprichoso, vai decidir pra onde o que sobrou de nós vai parar.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

SHARE
Previous article12 dicas para manter a mente saudável
Next articleIsso é sobre toda mulher lá fora lutando pelo seu espaço

Sou psicóloga, escritora e produtora de conteúdo para internet. Mas também gosto de maquiagem, de séries, de cozinhar para os amigos, de cuidar dos gatineos, de amar as pessoas como se não houvesse amanhã e que claro, volta e meia guardar uns ranço porque ninguém é de ferro!
Se você leu algum texto meu, por favor, expresse sua opinião nos comentários. Vou adorar o seu feedback!