Por que eu preciso ser resiliente?

O que é resiliência? Bom, pelo dicionário é um substantivo feminino e:

1. fís. propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica.
2. fig. capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças.

Ambas descrições, física e figurativa, mostram que a resiliência é retornar ao estado original após uma mudança. Ok, fácil compreender isso. Mas qual a necessidade da resiliência? Bom, vamos pelas pequenas coisas primeiro.

A resiliência permite que possamos transitar entre humores. Permite que possamos receber as mais diversas notícias durante o dia e continuar com um certo equilíbrio. Exemplo, acordou bem, tomou aquele café da manhã, foi trabalhar e recebeu uma carga absurda de trabalho com várias notícias desagradáveis.

Leia também: Ter resiliência: a importância de saber lidar com as emoções

Sai de um humor bom, ao acordar, passa por um estresse durante o dia, e retorna ao humor inicial ao final do dia. Esse seria o funcionamento resiliente. Porém com o aumento do estresse, o que acontece é que nos mantemos no momento estresse do trabalho, mesmo quando chegamos em casa.

Entenda, ser resiliente não é ser feito de gelo

Ser resiliente é conseguir lidar com as pressões do dia a dia de forma a ter o equilíbrio suficiente para retornar ao ponto de origem. Como muitas outras coisas, necessita de disciplina e um certo treino, uma boa dose de boa vontade com uma pitada de empatia, sim empatia.

É muito importante conseguir se colocar no lugar do outro para compreender certos acontecimentos diários. E tal compreensão pode nos ajudar a manter o equilíbrio que falamos anteriormente. Entender os motivos alheios facilita para que possamos tomar atitudes que nos mantenham equilibrados. Basta aplicar a tal lei de ouro “trate os outros como quer ser tratado”.

Percebo que na atualidade as pessoas não sabem mais esperar as coisas acontecer. Paciência virou artigo de luxo e todos querem resultados imediatos para tudo. Sem falar no limiar quase nulo para frustração.Não toleram se frustrar de forma alguma. Está aparecendo uma geração imediatista e birrenta. Sim, birrenta, aquela criança que por não conseguir lidar com a frustração prende o grito por qualquer motivo.

Se por algum motivo você se encaixou em alguma das duas características citadas acima, bom, sinceramente te digo, busque ajuda especializada, aprenda a lidar com frustrações, aprenda a esperar, crie paciência. Vai ser bom.

Mas por que falei dessas duas outras características?

Simples. Uma pessoa que não consegue lidar com frustração e\ou não sabe esperar, não vai ter uma boa resiliência. Portanto vai ser aquele cara que caso acorde com algum problema logo em seguida do levantar, vai arrastar o dito cujo durante o dia todo.

Imagine que colega legal ele vai ser em uma repartição de trabalho, ou em uma classe de aula. (Só que não.)

São pessoas que aparentam gostar de arrastar seus problemas e que tendem a reclamar de tudo para todos. Sabe como são essas pessoas? Então, não seja uma delas.

Leia mais em: Você tem medo de monstros? 

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário