Sob as manchas do tempo os sentimentos desaparecem, mas não esse amor

Às vezes a saudade me pega de repente quando eu acordo, escuto uma música ou dirijo pela cidade. Ela começa devagar como uma picada de agulha, e abre um buraco dentro de mim. A falta dói, a distância maltrata e me faz lembrar que esse abraço que eu preciso não vai acontecer, não agora.

Esse sentimento de falta não escolhe lugar. Vem sorrateiro apertando meu peito e enchendo meus olhos de lembranças. Nesses momentos tudo que eu precisava era encontrar você para ouvir a sua voz bem de perto, tocar o seu rosto, olhar nos seus olhos.

E por mais que eu queira muito e deseje isso com o coração, só a tecnologia consegue que a gente se aproxime um pouco. Pego o celular e aproveito para dizer o quanto amo você, o quanto me orgulho e como você faz falta.

Por mais que esse contato virtual seja possível, são apenas migalhas, que me distraem, mas que não matam essa saudade. Não resolvem muita coisa porque não tenho certeza, não sei bem quando vamos nos ver. Por isso fico apenas com a esperança do nosso reencontro.

Hoje a saudade me pegou

A saudade me pegou de jeito e vai ser muito difícil terminar esse texto sem molhar meu rosto inteiro. Principalmente porque consigo entender todas as circunstancias e motivos da distância. Mas mesmo assim esse sentimento me invade as vezes, como um dia raros de mar transparente, e me mostra todos os porquês, me dá todas as respostas, consigo ver através dele e mesmo assim não consigo me conter diante da beleza e imensidão. Então mergulho nessa água de memórias.

Essa saudade é algo que não está sob meu domínio, ela me quebra, me faz querer correr para o teu abraço, e me frustro tanto sabendo que não posso. Apenas espero que esse encontro não demore, que eu possa descansar um pouco nesse seu abraço e saber se você ainda tem aquele cheirinho de sempre, porque o das suas roupas já saiu a muito tempo.

Toda essa falta significa amor

E antes que chegue a hora de encontrar você outra vez, quero que sinta no final dessas linhas que toda essa falta significa amor. Essa dor que me visita de vez em quando, só me faz lembrar que tenho alguém que nunca me abandona, mesmo tão longe.

A milhares de quilômetros de distância tenho você, que acredita mais em mim do que as pessoas que estão fisicamente perto. E que muitas vezes me motiva mais e me dã mais forças do que as pessoas que moram comigo. Muito obrigada por isso!

E saiba que todos os momentos juntos foram e são importantes, eles estão bem guardados na nossa memória. Mas no fim das contas, bem na ponta do lápis eu ainda agradeço a distância. Tenho certeza que foram todos esses quilômetros e essa fronteira difícil de ser cruzada que tornaram você o meu melhor amigo.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

SHARE
Previous articleCansei de ser mulher
Next articleEu, você e os que estão por vir
Sou psicóloga, escritora e produtora de conteúdo para internet. Mas também gosto de maquiagem, de séries, de cozinhar para os amigos, de cuidar dos gatineos, de amar as pessoas como se não houvesse amanhã e que claro, volta e meia guardar uns ranço porque ninguém é de ferro! Se você leu algum texto meu, por favor, expresse sua opinião nos comentários. Vou adorar o seu feedback!