Como eu disse, você não vai ver um vídeo fofinho, isso porque ciúmes é um assunto sério e que particularmente me irrita.

É comum a gente ver em grupos do Whats, ou aqui mesmo no YouTube vídeos onde namorados ou namoradas dão crise de ciúmes e isso é romantizado de uma maneira absurda.

A pergunta que fica é: quando foi que um relacionamento com alguém se transformou nisso?

Você não pode ter um amigo? Você não pode sair sozinha? Você não pode passar um final de semana longe da pessoa?

No vídeo anterior eu falei sobre a diferença entre amor e apego, inclusive fica a dica de vídeo para você assistir assim que acabar esse. Vou deixar aqui no card e também na descrição.

Eu sinceramente não consigo ver um relacionamento como um fardo, como algo pesado, difícil de carregar. Não é justo você se desfazer do que você tinha, do que você era por causa de alguém. Ninguém no mundo vale esse esforço, ninguém no mundo vale esse tipo de sacrifício.

“Então quer dizer que posso continuar com as mesmas atitudes que eu tinha quando era solteira?”

Óbvio que não! E eu nem queria entrar nesse mérito porque imagino que você seja inteligente e sensata o suficiente para entender que em um relacionamento monogâmico existem “regras” implícitas, elas nem precisam ser colocadas a mesa para que você entenda que dar em cima de outra pessoa, por exemplo, vai contra essas regras.

O que estou dizendo aqui são de coisas que não afetam diretamente a saúde de um relacionamento.

“Ahh, mas eu não gosto que meu namorado fique de papinho com as amigas dele…”
Como eu disse, existem regras pré estabelecidas em um relacionamento monogâmico e outras que vão ser de comum acordo. COMUM acordo!

Imagine que você tem um amigo de infância, onde você o trata como irmão, sim, acredite, amizade entre homens e mulheres é possível sem que haja segundas intenções.

Então, num belo dia, você conhece uma pessoa, se apaixona por ela, está tudo ótimo, sua vida está estável, maravilhosa e essa pessoa simplesmente olha para você e diz: não quero mais te ver de papinho com o João.

Como assim? Você se pergunta. Por que não teria mais papinho com o João, se o João é meu melhor amigo, meu irmão, uma pessoa maravilhosa, guri do bem e que não faria mal algum para mim ou para o meu relacionamento. O João torce pela minha felicidade…

“O João é homem e você já sabe como são os homens…”

Digamos que em alguma realidade paralela essa frase seja uma verdade absoluta, que todos os homens tem segundas intenções. Qual seria a solução mais adequada para resolver isso? Confiar na pessoa, ou coloca-la em um calabouço em uma ilha no meio do nada?

Tem muita gente que encara o seu relacionamento como a segunda opção, achando que o meio mais seguro é isolando a pessoa de qualquer risco eminente de uma fugidinha ou até mesmo de um rompimento por causa de uma paixão avassaladora…

Isso aí minha amiga, não é um relacionamento saudável e passa longe de ser amor. Isso é posse, regada com muita insegurança. Ter ciúmes é normal, afinal a gente ama aquela pessoa. Mas se você não confia na pessoa com quem você está, ou não confia nas qualidades que você tem para mante-la ao seu lado, sério, saia desse relacionamento.

E a pergunta final é:

Você gosta que seu namorado ou namorada fique no seu pé o tempo inteiro? Deixa aí nos comentários…

Ahhh, e para de romantizar essa porra de ciúmes!

Siga:

@Patiguollo
@Jomadeira10

Contato para parcerias e palestras:

contato@entrecabelosebarba.com.br

Esse canal é uma realização Mais Relevância Conteúdo Digital:

https://maisrelevancia.com/

Criciúma – Santa Catarina | Brasil

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário